Bombeamento de concreto

O bombeamento de concreto é um sistema composto por uma bomba que impulsiona o material desde o caminhão até o local onde ele será aplicado. Esse transporte pode ser feito verticalmente ou horizontalmente, de acordo com as necessidades impostas pela obra. O serviço se resume nas seguintes etapas: instalar a bomba no canteiro, montar a tubulação que vai transportar o concreto até o seu ponto de aplicação, executar o bombeamento no horário combinado com a obra e finalizar o trabalho com a limpeza e remoção da tubulação.

Existem dois equipamentos diferentes que podem ser usados no bombeamento de concreto. O primeiro é a bomba estacionária, que fica parada próximo ao local da aplicação e bombeia o concreto por meio de uma tubulação fixa, que pode ser estendida se necessário. Já a bomba lança, como o próprio nome diz, é composta por uma lança móvel – acoplada ao chassi de um caminhão – que leva o tubo até o local de aplicação.

“A bomba lança tem uma limitação de altura, pois o concreto só pode ser levado até onde a lança alcança. Acima dessa altura, a empresa é obrigada a utilizar a bomba estacionária”, explica Marlon Vinícius Rocha, gerente de engenharia da Hestia Construções e Empreendimentos.

Cotações de preços e fornecedores

blogcamargoNa hora de escolher um prestador de serviços, é importante verificar com antecedência quais os trabalhos que a empresa já realizou e se a mesma possui as bombas necessárias para realizar o serviço dentro das condições específicas da obra.

A construtora deve informar à contratada itens como: altura e distância onde o concreto será aplicado, o volume de concreto necessário e a velocidade de aplicação do mesmo. Com base nessas informações, a contratada poderá indicar qual tipo de bomba é mais adequado para executar o bombeamento, mas a escolha final da máquina é feita em comum acordo com a contratante.

Normalmente, as empresas que prestam serviços de concretagem possuem equipamentos para bombear o concreto, mas caso a concreteira não tenha bomba disponível na data necessária, é possível buscar outro fornecedor para complementar o trabalho. “Pode-se comprar o concreto de uma concreteira e contratar o serviço de bombeamento de outra empresa específica”, explica Rubens Curti, especialista em concreto da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP).

Geralmente, é necessário agendar a concretagem e o bombeamento com 30 dias de antecedência; o pagamento pode ser realizado após o término do serviço ou de acordo com o andamento do mesmo. Tudo isso deve estar bem definido no contrato.

Logística

É responsabilidade da contratada transportar o equipamento até o local onde será feita a concretagem, instalar a bomba, montar a tubulação e, em seguida, desmontá-la. Por outro lado, a construtora fica encarregada de preparar o canteiro. É importante que o lugar esteja servido de pontos de energia elétrica. É necessário também viabilizar o acesso das bombas até o local de aplicação.

Nos casos em que o terreno tiver muito barro, é preciso preparar o piso para que o caminhão não atole. “Se a bomba ficar na rua, é preciso solicitar a autorização do órgão da prefeitura para que a contratada estacione em frente à obra. A partir daí, toda a responsabilidade é da empresa contratada”, ressalta Marlon Rocha.

Cuidados gerais

Após o teste realizado no momento em que a bomba chega ao canteiro, se for verificado que a máquina tem algum problema, a contratada deverá arcar com o concreto desperdiçado nos caminhões. Já a limpeza dos resíduos – como nata de concreto – provenientes do serviço deve ser feita pela contratante, mas esse ponto também deve ser claramente especificado em contrato.

Normas técnicas importantes sobre bombeamento de concreto: NBR 14.931:2004 – Execução de Estruturas de Concreto – Procedimento; NBR 8.953:2009 Versão Corrigida: 2011 – Concreto para Fins Estruturais – Classificação pela Massa Específica, por grupos de resistência e consistência.

Fonte:Casa do Concreto

 

Qualidade: Inmetro vai certificar itens da construção civil

Mãos à Obra

O Inmetro começa a certificar produtos da construção civil como iniciativa para aumentar a segurança dos usuários, o desempenho e a durabilidade dos materiais e proteger o mercado interno da construção civil contra produtos de baixa qualidade. O objetivo é ampliar a lista de produtos já certificados, com tijolos maciços cerâmicos, blocos e telhas de cerâmica e de concreto, porcelanatos, entre outros.

Os investimentos, públicos e privados, em obras nas áreas de transporte, logística, aeroportos e habitação  acendem a discussão sobre a qualidade e a segurança dos produtos utilizados na construção civil. “Queremos prevenir o País contra as práticas enganosas de comércio e a certificação de produtos, tanto compulsória como voluntariamente, estimula a concorrência justa no Brasil, beneficiando o consumidor”, resumiu o diretor de Avaliação da Conformidade do Inmetro, Alfredo Lobo.

Dimensões, composição, absorção de água ou resistência são alguns dos requisitos técnicos que constarão nos regulamentos desenvolvidos pelo Inmetro…

Ver o post original 51 mais palavras

SENAI premia vencedores do Desafio do Trabalhador da Construção Civil

Mãos à Obra

Ao aliar qualidade, agilidade e rigor no cumprimento de tarefas na construção civil 15 profissionais foram premiados após obterem as melhores pontuações no Desafio do Trabalhador da Construção Civil realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI neste sábado, 17, em Palmas. O Desafio é dividido em 5 ocupações (Revestimentos Cerâmicos, Construção em Alvenaria, Eletricidade Predial, Pintura em Obras e Segurança do Trabalho) e aprova prática foi realizada durante o Dia Nacional da Construção Social, evento que objetiva a valorização deste profissionais.

A prova prática envolveu atividades desde a montagem de instalações elétricas e churrasqueira de tijolos à montagem de painéis de pintura e cerâmica, além de avaliações do ambiente com critérios da área de segurança no trabalho.

Nove mil reais, troféus e certificados foram distribuídos para os primeiros três colocados de cada categoria das empresas JP Arquitetura, Recep Engenharia, Inovatec, Coceno Engenharia M&V, CM Construtora, AVF Construtora, Araguaia…

Ver o post original 281 mais palavras