Dicas para executar corretamente telhados com telhas de concreto.

Telhados coloridos – verdes, vermelhos, amarelos, azuis – começam a pintar a paisagem das cidades brasileiras. As novas coberturas são realizadas com telhas de concreto, fabricadas com uma argamassa homogênea de cimento, areia, água, pigmento e, opcionalmente, aditivos plastificantes. No Brasil, ainda há uma enorme área a ser coberta por esse produto, que apenas ensaia os primeiros passos no país: sua participação não passa dos 3%, segundo fabricantes e especialistas da área. Na Europa, por exemplo, as telhas de concreto detêm mais de 50% do mercado e na Itália atingem 70%. Assim, estima-se que há um enorme potencial, ainda inexplorado, no mercado brasileiro.

Um dos diferenciais é a qualidade do produto, muito superior às telhas tradicionais, de cerâmica. Os equipamentos de fabricação, de avançada tecnologia, praticamente induzem os bons resultados no final da linha de produção: um bom maquinário, cimento e agregados adequados, além de respeito às dimensões e especificações das normas técnicas, juntos, fazem com que a telha de concreto tenha um elevado padrão de qualidade. Outra diferencial é ambiental. A fabricação das telhas de cerâmica requer muita energia e libera, em seu processo de produção, grande quantidade de CO². A produção da telha de concreto – por depender apenas da cura do cimento – não libera nenhum resíduo, garantem os fabricantes.

Dicas de execução

Para as telhas que não são resinadas, deve-se molhá-la antes de iniciar o assentamento da cumeeira, que deve ser feito com argamassa de cimento, cal e areia no traço 1:1:8. A argamassa deve descansar de 10 a 15 minutos e, em seguida, ser misturada até atingir a consistência de uma “farofa”. De acordo com Antonio Alves Goulart, instrutor do Senai, em telhados com telhas de concreto com inclinações de até 45%, a amarração das telhas pode ser dispensada desde que os beirais sejam parafusados no ripão.

Se a aplicação da manta térmica estiver prevista no projeto, esta deverá ser colocada horizontalmente entre os caibros e os recaibros, e grampeada nos extremos do conjunto do madeiramento do telhado. Para evitar deformações na superfície do telhado, o assentamento das telhas deve ser feito sobre uma trama de caibros de secção quadrada, 5 x 5 cm, e por ripões. No beiral, use sempre dois ripões para manter o nível.

Passo a Passo

– Passo 1: Antes de iniciar a colocação, confira o alinhamento vertical com a ajuda de um esquadro.
– Passo 2: Inicie a colocação das telhas da primeira fiada do beiral sempre da direita para a esquerda.
– Passo 3: Depois de colocada a fiada do beiral, distribua as telhas em faixas verticais, começando sempre pela direita.
– Passo 4: Antes de iniciar o preenchimento da cumeeira, meça verticalmente o encaixe da telha, do ponto de recobrimento até a linha central do espigão.
– Passo 5: Em seguida, meça horizontalmente.
– Passo 6: Transfira as medidas para a telha, faça as marcações horizontais e verticais e una os pontos traçando um triângulo.
– Passo 7: Durante o corte, molhe bem o disco da serra elétrica com água.
– Passo 8: Inicie o corte pelas saliências da telha, sempre molhando o disco da serra elétrica enquanto estiver executando o serviço.
– Passo 9: Em seguida, vire a telha de cabeça para baixo e finalize o corte, também pelas saliências.
– Passo 10: Separe a peça.
– Passo 11: Encaixe-a no espigão.
– Passo 12: Prepare o emboço para o assentamento da cumeeira.
– Passo 13: Com a ajuda da colher de pedreiro, distribua a argamassa no encaixe da telha de forma a criar uma linha contínua.
– Passo 14: Em seguida, aplique a peça cortada sobre a telha.
– Passo 15: Para evitar falhas, os vazios dos canais da cumeeira deverão ser preenchidos com cacos de telha, aplicados sobre a primeira camada de emboço.
– Passo 16: Aplique uma nova camada de emboço nas extremidades, agora já preenchidas com os cacos de telha, de maneira a criar duas linhas contínuas.
– Passo 17: Encaixe a telha na cumeeira do telhado com cuidado.
– Passo 18: Antes de assentar a peça seguinte, coloque o emboço no rebaixo da telha.
– Passo 19: Com a colher de pedreiro, inicie o arremate do emboço.
– Passo 20: A camada de acabamento do emboço deve ficar 90% inclinada em direção à cumeeira, eliminando, dessa forma, a área de absorção de água da argamassa.
– Passo 21: Com uma esponja úmida, remova o excesso de emboço das juntas.
– Passo 22: Depois que a argamassa estiver seca, remova o excesso do cimento com uma esponja seca.

Informações: Equipe de Obra e Prisma
Imagens: Extra

Limpe a casa com os produtos certos.

Em casa sempre procuramos as formas mais práticas, rápidas e econômicas  para manter a casa limpa e sobrar tempo para fazer outras atividades. Segue algumas dicas para aproveitar da melhor forma os produtos de limpeza da sua casa.

Comece a faxina de cima para baixo, ou seja, vá do teto ao chão
Foto: Getty Images

Não há dúvida: os produtos de limpeza são ótimos aliados na hora de arrumar a casa. Isso talvez justifique a paixão que a maioria das mulheres tem pela seção de limpeza dos supermercados. Quem aqui já não se pegou lotando o carrinho de detergente, limpador multiuso  desinfetante etc.? Sim, esses itens são fundamentais para a faxina, mas, às vezes, um único produto é capaz de deixar vários ambientes brilhando. Por isso, é bom saber como aproveitar o que cada um faz de melhor.

Assim, o trabalho diminui e ainda sobra um tempinho para você curtir mais a família. Sem falar na graninha que você vai economizar no final do mês reduzindo os itens da compra. Veja as dicas de Débora Muller, especialista em organização e limpeza da Casa Bombril.

O que fazer antes de começar a limpeza?

Separe todos os produtos e equipamentos necessários. Com relação aos panos, adote uma cor para cada cômodo.

Comece a faxina de cima para baixo, ou seja, vá do teto ao chão. Limpe lustres, paredes, janelas, portas, móveis e enfeites, finalizando em rodapés e pisos.

Cada produto tem uma função específica

Água sanitária. Limpa, branqueia e desinfeta. Aplique em:
·  Vasos sanitários, ralos, pias e pisos para remover manchas e incrustações.
· No quintal, para desinfetar especialmente as áreas onde circulam cães e gatos.
· Azulejos do banheiro, para remover o limo.

Desengordurante. Tira as gorduras mais difíceis. Use para:
· Limpar o fogão, o microondas e a geladeira.
· Remover a sujeira impregnada em eletrodomésticos.
· Eliminar gordura e manchas do piso e azulejos da cozinha.

Detergente neutro ou de Coco. Barato e eficiente, serve para:
· Lavar louça, utensílios e eletrodomésticos de inox, microondas e geladeira.
· Limpar armários da cozinha e pisos.

Desinfetante. Mata germes e perfuma o ambiente. Use para:
· Desinfetar ralos, pias de banheiros e vasos sanitários.

Limpador multiúso. Desinfeta, elimina germes e bactérias. Ideal para:
· Lavar piso e revestimento das paredes da cozinha.

Limpeza pesada. Elimina a gordura e tira as sujeiras mais difíceis. Serve para:
· Lavar pisos e azulejos de cozinhas e banheiros.

Lustra-móveis. Uma pequena quantidade (o equivalente a uma moeda de R$ 0,25) dá ótimos resultados. Serve para:
· Remover manchas e dar brilho em móveis de madeira (exceto os tipos de demolição) e metais (torneiras e registros).

Sabão de Coco. Não agride as superfícies e limpa profundamente. Use para:
· Lavar armários, paredes e portas.

Saponáceo. Substitui a lã de aço em alguns casos. Serve especialmente para:
· Remover gordura.
· Tirar manchas e sujeiras difíceis de pisos e paredes.
· Limpar e renovar o brilho das louças sanitárias.
· Lustrar alumínio e pias de aço inox.

Tira-limo. É indicado para a limpeza mais pesada do banheiro. Bom para:
· Desengordurar o boxe (que costuma ficar imundo com o acúmulo dos restos de xampu e sabonete).
· Limpar vasos sanitários e pias.
· Remover o limo dos rejuntes.

 

Fonte: Mdemulher

Quando e como podar uma árvore?

Resumo

Podar as árvores do jardim para que elas cresçam frondosas, não fiquem presas na rede elétrica, não interfiram na circulação nem destruam telhados exige técnicas apropriadas. E há uma época adequada para não afetar o crescimento. A poda de árvores nas calçadas e em outros espaços públicos é responsabilidade da administração pública, não dos moradores, que podem ser multados se decidirem cortá-las sem autorização. Saiba quais são as recomendações para podar as árvores do seu jardim. 

Passos

 

1

Saiba qual é a espécie da árvore que você pretende podar. 
Cada espécie tem um ciclo de vida e uma função específicos. 
Identifique se é uma árvore ornamental ou frutífera.

2

Defina o tipo de poda de que a árvore precisa.

  • Poda de formação: é realizada quando a árvore é jovem para a copa atingir cerca de dois metros de altura. 
    Mantenha os três galhos mais fortes e eqüidistantes que partem do tronco principal e retire os restantes. 
    Imagine que a árvore deve ficar como uma mão que sustenta uma bandeja na ponta dos dedos.
  • Poda sanitária: é uma tarefa de manutenção. 
    Extraia todo material vegetal morto ou danificado, como galhos secos, podres, quebrados ou mal desenvolvidos, raízes deformadas, etc. 
    Lembre-se de que a estrutura principal da árvore será composta pelos três galhos escolhidos anteriormente. Você deve conservar apenas os galhos que crescerem deles na direção exterior da árvore. Isso favorecerá a entrada de ar e sol, necessários para a fotossíntese.
  • Poda incentivadora da floração e frutificação: quando a árvore já tiver com forma (de mão sustentando uma bandeja), selecione as gemas (olhos) que você acha que terão uma boa floração. 
    Retire os brotos ou vergônteas menos fortes. Assim, toda a produção da planta se concentrará nas gemas escolhidas, aumentando o tamanho das flores ou dos frutos.

3

Muitas árvores devem ser podadas no final do inverno, antes da brotação. 
Nesta época, a árvore tem suas reservas de alimentos altas, o que é essencial para gerar um sistema de defesa. Mas o melhor é se informar sobre qual é o período ideal de poda para cada tipo de árvore.

4

Não se deve podar mais de 30% do volume total da copa da árvore de uma vez. 
Uma poda exagerada pode prejudicar a árvore e fazer com que ela morra. Tudo o que for feito na copa pode interferir nas raízes e vice-versa.

5

Escolha as ferramentas adequadas para os diferentes tipos de corte. 
Você precisará de tesouras de mão, tesouras de maior alcance para galhos mais altos, serrotes, serrotes em arco e motosserra.

6

Suas ferramentas precisam estar bem afiadas e limpas, para evitar que uma planta doente contagie a outra.

7

Tome todas as medidas preventivas para evitar acidentes. 
Use arnês, luvas, capacete protetor com óculos, cordas resistentes, escada, andaimes ou cestas hidráulicas.

 

Importante

  • Antes de fazer uma poda, informe-se sobre as normas da sua cidade. Para árvores de grande porte, o melhor é contratar um serviço especializado, com experiência, ferramentas e estrutura adequadas.

Fonte: Comunidade bem simples